A obra da escritora de 10 anos de idade é fruto do programa de Atendimento Educacional Especializado em Altas Habilidades e Superdotação desenvolvido pela Secretaria de Educação do DF

No mesmo dia do lançamento do livro “# Viralizei”, em sessão solene da Câmara Legislativa na tarde desta sexta-feira (22), a escritora Elise Ferreira Feitosa completou 10 anos. A obra de Elise, que aborda o tema da Covid-19, é resultado do programa de Atendimento Educacional Especializado em Altas Habilidades e Superdotação desenvolvido pela Secretaria de Educação do DF.

Segundo o deputado Leandro Grass (Rede), que mediou o evento, transmitido ao vivo pela TV Web CLDF e pelo canal da Casa no Youtube, “o programa reconhece esses talentos e faz com que eles prosperem”. Ele enfatizou que Elise, aluna do programa, é uma agente de transformação social, fruto da escola pública de qualidade. 

Bastante alegre, Elise agradeceu a oportunidade, que ela considerou o começo de seu caminho na literatura. Durante o evento, ela declamou poesia de Vinícius de Moraes, narrou seu cotidiano, fez brincadeiras com os participantes da solenidade e estendeu a homenagem aos professores do programa. 

A professora da sala de recursos de Altas Habilidades e Superdotação do Centro de Ensino Fundamental 4 do Gama, Nicilene Rita Eneas, discorreu sobre o projeto de construção do livro de Elise: “Ela tratou de um assunto pesado de forma sensível e criativa; notamos que nasceu um livro e uma escritora”.

A qualidade e a profundidade da escrita de Elise foram destacadas pela escritora Fátima Venzi Esteves, que leu o “# Viralizei” no evento e reforçou a leveza da obra frente ao contexto da pandemia. Esteves acrescentou que outro livro da menina sairá, em breve, numa coletânea de literatura infantil.  

Por sua vez, o ilustrador da obra, Daniel Nascimento Ledas, disse que suas referências, as quais inspiraram os personagens do livro de Elise, provêm da escola Maurício de Souza. Ele defendeu a importância do papel do Estado na educação, posição corroborada pelo conselheiro tutelar Francisco Martins, que ressaltou a necessidade de investimentos em projetos educacionais efetivos, a exemplo do programa em Altas Habilidades e Superdotação. 

A mãe de Elise, Laura Feitosa, agradeceu o incentivo daqueles que participaram da conquista de Elise, ao contar que, desde pequena, a menina tem sensibilidade para o mundo da leitura prazerosa e da imaginação. Laura Feitosa adiantou que a filha já se mostra uma grande defensora do direito à leitura. 

Atendimento a superdotados

Desde 1976, o programa de Atendimento Especializado em Altas Habilidades e Superdotação do DF – pioneiro no País – oferece acolhimento a estudantes que, segundo a definição adotada pelo Ministério da Educação, são indivíduos que apresentam notável desempenho ou elevada potencialidade em aspectos isolados ou combinados, como capacidade intelectual, aptidão acadêmica ou específica, pensamento criador ou produtivo, capacidade de liderança, talento especial para artes em geral e capacidade psicomotora.

Atualmente no DF, há um polo de atendimento em cada regional de ensino, que inclui o atendimento psicológico voltado ao acompanhamento e testes aplicados, como diagnósticos e necessidades educacionais, além de equipe itinerante e áreas afins.

Leia Mais

Dia do Profissional de Altas Habilidades: atendimento a superdotados no DF completa 45 anos
 

Franci Moraes - Agência CLDF