Governo estabelece prazo de 45 dias para realizar o sonho da casa própria de Pessoas com Deficiência no Distrito Federal

Na manhã desta sexta-feira (12/11), o governador do Distrito Federal Ibaneis Rocha (MDB) visitou a população da Ceilândia Norte com objetivo de escutar a reivindicação de Pessoas Com Deficiência (PcD) sobre a criação de um programa que garanta o direito a moradia dos mesmos. Atualmente, no DF, existem cerca de 600 mil pessoas com algum tipo de deficiência.
“A gente vem trabalhando com programas dentro da Secretaria da Pessoa com Deficiência, mas há uma reivindicação que é a maior de todas, a questão da moradia. A maioria recebe por meio do Benefício de Prestação Continuada (BPC) um salário mínimo, o que impossibilita entrar inclusive nos programas da Caixa Econômica Federal e da Codhab. Com isso, teremos que criar algum programa envolvendo o Banco Regional de Brasília para que a gente dê condições a essas pessoas de financiarem suas moradias”, destacou o chefe do executivo local.

O governador deu um prazo para o cadastramento de, no máximo, 45 dias para que o programa habitacional seja estabelecido. Para ele, entrar o ano de 2022 com políticas públicas em andamento é fundamental. “Vocês poderiam estar em qualquer outro lugar, mas se estão aqui é porque alguma coisa não está certa. Quero deixar bem claro aqui o meu compromisso com as pessoas com deficiência, para que vocês tenham uma vida melhor”, disse Ibaneis.
Expectativa
Mesmo com a chuva, cerca de 100 pessoas foram ao Encontro do Movimento Habitacional e Cidadania das Pessoas com Deficiência (MOHCIPED) solicitar ao governo ajuda para conquistar o sonho da casa própria. Esse foi o caso da Jaqueline da Conceição, 25 anos, moradora de Samambaia e mãe de uma criança com paralisia cerebral.

“Pago aluguel, vivo do BPC e estou muito esperançosa com esse programa que será criado. Espero por isso há anos e que ocorra tudo bem, porque tudo para a gente é mais difícil, eu não posso trabalhar pois só vivo para minha filha, ela não fala, não anda, então não tem jeito”, falou a moça.
O secretário da Pessoa com Deficiência, Flávio Santos compareceu ao local e ressaltou que a pasta existe para atender à população criando, estabelecendo e acompanhando as políticas públicas voltadas ao público.

Com informações do Correio Braziliense