Vítima de feminicídio em 2019, Letícia Curado completaria 29 anos nesta terça-feira (16). A data foi destacada na sessão da Câmara Legislativa pelo deputado Cláudio Abrantes (PDT), que leu mensagem da mãe da vítima, Kenia Sousa, em homenagem. “A lembrança da Letícia deve continuar nos inspirando a lutar contra esse câncer da sociedade que é o feminicídio”, disse o parlamentar.

“Ela tinha um futuro muito promissor, a sociedade perdeu muito com sua morte. Esse assassinato nos envergonha a todos”, completou o deputado Roosevelt Vilela (PSB), que é primo de segundo grau da mãe da vítima.

Outra situação de violência de gênero abordada na sessão desta tarde foi a agressão sofrida, física e verbalmente, pela ativista transexual Scarlety Vasconcelos, na saída de um bar em São Sebastião, no último domingo (14). O deputado Fábio Felix (PSOL) destacou que o Brasil é o país que mais mata pessoas trans, em especial mulheres transexuais e travestis negras, citando o registro de 175 mortes apenas em 2020.

Segundo informou, o caso de Scarlety, “que está com o rosto desfigurado por tamanha violência gratuita”, será acompanhado pela Comissão de Direitos Humanos da Casa. “Precisamos trabalhar de forma enérgica para que a investigação aconteça e para que as consequências sejam rigorosas”, concluiu.

Denise Caputo - Agência CLDF