Maior parte é de moradores de Goiás e Minas Gerais; há registro de pessoas oriundas de todos os estados brasileiros

A Secretaria de Saúde divulgou, nesta sexta-feira (29), o boletim sobre a vacinação no DF que, entre outros dados, traz o perfil dos vacinados durante a campanha. A maioria dos vacinados é mulher, correspondendo a 62,5% dos imunizados com a primeira dose e 64,9% com a segunda. O balanço também considera a unidade federativa de residência de cada um dos vacinados. Deste modo, até o momento, 29.106 doses foram aplicadas em moradores dos 26 estados brasileiros. Com a segunda dose, esse número é de 10.922.

A maioria dos vacinados que não moram no DF veio do estado de Goiás com 14.444 pessoas. Minas Gerais aparece em segundo, com 3.477; Rio de Janeiro, em terceiro, com 1.568; e São Paulo em quarto, com 1.545. Esses receberam a primeira dose (D1).

Com a segunda dose, receberam a vacina 5.817 moradores de Goiás, 1.225 de Minas Gerais, 539 de São Paulo e 505 do Rio de Janeiro. Os dados foram extraídos nesta segunda-feira (29) e contemplam os registros notificados no sistema Novo SI-PNI online, do Ministério da Saúde. Até o momento, constam no sistema de notificação um total de 185.229 vacinados com a primeira dose e 56.371 com a segunda.

Entre os grupos prioritários, a maioria é de idosos com 67 anos ou mais, que é o público-alvo da campanha, neste momento. Essas pessoas correspondem a um total de 118.807 vacinados. Em seguida vem o grupo de trabalhadores da saúde, com 63.972 imunizados com a D1. Receberam o reforço 37.254 trabalhadores da saúde e 17.888 idosos.

A Secretaria de Saúde lembra que as duas vacinas que são aplicadas no Brasil, atualmente, têm períodos distintos para intervalo entre as doses. A CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac, deve ser aplicada com intervalo de 14 a 28 dias – período com a melhor eficácia. Já quem recebeu a vacina Covishield, desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com o laboratório AstraZeneca, deve ser vacinado com o reforço em até 90 dias.

Ceilândia

Ceilândia foi a região do Distrito Federal que mais teve vacinas aplicadas em primeira dose. O total foi de 26.667. Esse dado, no entanto, não contempla somente os moradores da região, ou seja, há pessoas de outras localidades do DF, ou de outros estados que receberam a primeira dose na cidade.

Quanto às perdas físicas e por problemas técnicos com o produto, até o dia 28 de março, foram informadas à Secretaria de Saúde 78 ocorrências à Rede de Frio, em que 774 doses foram perdidas, sendo 61 por quebra de frasco, dois por falta de pressão no frasco, um por mudança de cor e 710 por volume insuficiente. Há ainda 385 doses que ficaram fora da temperatura recomendada em bula e estão em análise pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) para avaliação quanto à perda ou não da eficácia.

Com informações da Secretaria de Saúde