Iniciativa da Codeplan e da Seduh reúne quatro das mais expressivas dimensões de vulnerabilidade social do DF

A Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Habitação do Distrito Federal (Seduh-DF) divulgaram nesta quinta (17), o Índice de Vulnerabilidade Social do DF (IVS-DF). O índice tem como objetivo inicial subsidiar a revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT), instrumento básico da política territorial e de orientação aos agentes públicos e privados que atuam na produção e gestão das localidades humanas, de expansão urbana e rural do território do Distrito Federal.

O presidente da Codeplan, Jean Lima, relatou que “para chegar ao índice, foi utilizada uma metodologia que agregou gestores, pesquisadores e sociedade civil dispostos a contribuir com a política de desenvolvimento urbano do Distrito Federal, pensando na especificidade de cada uma das regiões administrativas”. A gerente de Estudos e Análises Transversais da Codeplan, Tatiana Sandim, explica que “o IVS-DF se tornou uma importante ferramenta para outras áreas, sobretudo, social e de direito à cidade, dentro e fora do GDF. Com isso, o IVS-DF se alinha aos objetivos da Codeplan, de disponibilizar informações úteis para subsidiar o desenvolvimento de políticas públicas baseadas em evidências”.

O IVS-DF se tornou uma importante ferramenta para outras áreas, sobretudo, social e de direito à cidade, dentro e fora do GDF. Com isso, o IVS-DF se alinha aos objetivos da Codeplan, de disponibilizar informações úteis para subsidiar o desenvolvimento de políticas públicas baseadas em evidênciasTatiana Sandim, gerente de Estudos e Análises Transversais da Codeplan

O IVS-DF reúne 24 indicadores avaliativos, distribuídos em quatro das mais expressivas dimensões de vulnerabilidade social do DF: Dimensão de Infraestrutura e Ambiência Urbana (DIAU), com indicadores relacionados aos domicílios e seus entornos e à mobilidade; Dimensão de Capital Humano (DCH), com indicadores que determinam a condição de educação e outros aspectos de vulnerabilidade, como gravidez na adolescência e jovens “nem-nem” (nem estudam, nem trabalham); Dimensão de Renda e Trabalho (DRT), com indicadores sobre inclusão precária e/ou inadequada no mercado de trabalho, levantando também a insuficiência de renda das famílias e a diferença de renda entre mulheres e homens chefes de famílias; e Dimensão Habitacional (DH), com indicadores que refletem as condições de habitação da população, deixando em evidência a necessidade de provimento de moradias e a situação de inadequação domiciliar.

O IVS-DF é de 0,34. Dentre as 33 RAs, as com maiores índices de vulnerabilidade social são SCIA/Estrutural (0,72), Sol Nascente/ Pôr do Sol (0,60), Fercal (0,55), Varjão (0,53) e Itapõa (0,53). Já se tratando das RAs com menores índices, Sudoeste/ Octogonal (0,09), Águas Claras (0,10), Cruzeiro (0,12), SIA (0,13) e Lago Sul (0,14) se destacam. Para cada uma das dimensões listadas, o IVS-DF apresentou os seguintes resultados: Infraestrutura e Ambiência Urbana (0,69), Capital Humano (0,93), Renda e Trabalho (0,90) e Habitação (0,63). O índice é calculado com base nos dados da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD) de 2018, possibilitando que os resultados sejam apresentados de forma desagregada e representativa por cada Região Administrativa (RA) e para todo o território do DF.

Para Vicente Lima, subsecretário de Políticas e Planejamento Urbano da Seduh, a Codeplan exerce um papel fundamental na geração da informação de qualidade para execução de políticas públicas pelo GDF mais aderentes à realidade local, pois a capital federal possui áreas com elevado nível de renda e infraestrutura, enquanto outras ainda são muito precárias e, por isso, se faz necessário olhar para o território de maneira distinta. “Precisávamos deste indicador para desenvolver um PDOT mais justo e com olhar voltado para a população mais vulnerável. Olhar as condições de trabalho, da informalidade e de como as pessoas se deslocam no território é de extrema importância para uma integração intersetorial enquanto formação de política pública. Eu consigo olhar o urbano, a habitação, o trabalho e o capital humano através do índice”, declarou o subsecretário.

Giselle Moll, secretária executiva da Seduh- DF, ressaltou a importância da divulgação do estudo e a parceria entre a Codeplan e a Seduh. “É uma grande oportunidade participarmos desta pesquisa e podermos realizar esse convênio tão importante para o DF, para o futuro das políticas públicas governamentais. Espero que essa pesquisa seja amplamente divulgada, que todas as demais secretarias e órgãos do GDF tomem conhecimento dela e possam aplicá-la no dia a dia. Parabenizo a Codeplan e a nossa equipe da Subsecretaria de Planejamento Urbano, que trabalharam juntos na consolidação dos dados”.

É uma grande oportunidade participarmos desta pesquisa e podermos realizar esse convênio tão importante para o DF, para o futuro das políticas públicas governamentais. Espero que essa pesquisa seja amplamente divulgada, que todas as demais secretarias e órgãos do GDF tomem conhecimento dela e possam aplicá-la no dia a diaGiselle Moll, secretária executiva da Seduh

Segundo Tatiana Sandim, gerente de Estudos e Análises Transversais da Codeplan, o IVS-DF é calculado com os dados da PDAD e o lançamento realizado nesta quinta (17) reflete a realidade dos territórios em 2018, quando os últimos dados forem coletados. “Com a próxima PDAD, teremos uma atualização do IVS-DF e, com isso, calcularemos novos resultados que refletirão as transformações ocorridas nos últimos anos em todo o Distrito Federal”, ressalta.

Acesse aqui o IVS-DF na íntegra.