Ferramenta vai facilitar o fluxo de dados dos pacientes, o que contribui para melhora da gestão

AGÊNCIA BRASÍLIA * | EDIÇÃO: CHICO NETO

Treinamento ajuda servidores a operarem a nova versão de Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) | Foto: Divulgação/Iges-DF

Colaboradores do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) iniciaram, nesta terça-feira (1º), o treinamento para operarem uma nova versão de Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP). A ação faz parte da mudança do sistema de gestão hospitalar, já realizada no Hospital de Base (HB) e nas seis unidades de pronto atendimento (UPAs) do Distrito Federal.

Chamada Soul MV, a ferramenta engloba outros módulos, como o de gestão de custos, que permite mais eficiência na administração dos recursos públicos. As modalidades almoxarifado, farmácia e manutenção já estão em pleno funcionamento na unidade de saúde desde agosto. Com a chegada do novo prontuário, também poderão ser aplicados os módulos de faturamento, hotelaria e portaria.

“Com o Soul MV, teremos dados precisos desde o momento em que o paciente é internado até quando ele recebe alta”, explica o chefe do Núcleo de Tecnologia da Informação (TI) do HRSM, Vinícius Nascimento Mota. “Vamos obter relatórios dos indicadores e, com isso, fazer um plano estratégico de ação.”

Sustentabilidade

Outro destaque, aponta o gestor, é a aplicação da política de papel zero. “Atualmente usamos o sistema TrakCare”, informa. “Com ele, temos que fazer parte do trabalho via formulário manual, e o MV vai nos ajudar a digitalizar tudo. Haverá um painel, na emergência, mostrando os nomes dos pacientes e seus respectivos medicamentos. Dessa forma, vamos evitar a impressão de papéis e agilizar o atendimento”.

O assistente administrativo Zilton Alves de Alencar, 38 anos, lotado no Setor de Gerência do Ambulatório, participou da capacitação. “Todos teremos acesso às informações do paciente e, assim, ficará fácil verificar se o caso dele é de internação local ou se deve ser encaminhado para outra unidade”, conta. É mais agilidade e assertividade na prestação do serviço público”.

 Com informações do Iges-DF