Júri popular escolheu trabalhos em três categorias: Estudantes, Profissionais da Educação e Melhor filme das cinco últimas edições do festival

Foto: Reprodução
O filme O Privilégio, do Centro de Ensino Fundamental 602 do Recanto das Emas, venceu na categoria Melhor filme do Festival de Curtas nos últimos 5 anos | Foto: Reprodução

Divulgados os vencedores da 1ª Mostra On-line de Curtas das Escolas Públicas do Distrito Federal #Curtadecasa. O evento foi adaptado em 2020 para o formato virtual em razão da pandemia do novo coronavírus. A ideia foi seguir com as ações pedagógicas que envolvem a produção audiovisual, incentivar esta linguagem, bem como a produção autoral e o protagonismo de estudantes e de servidores.

Briza Mantzos, 17 anos, da 3ª série do Centro de Ensino Médio Elefante Branco (Cemeb) foi a vencedora na categoria Estudantes. Em 2019, ela ganhou o prêmio de melhor atriz do Festival de Curtas pelo filme Oco. “Foquei na direção. Descobri muita coisa sobre mim, o meu futuro, o audiovisual amador no Brasil. Nesse processo de pandemia foi um pouco complicado, mas me deu ainda mais sede para continuar. Foi libertador”, conta a jovem.

A professora Danielle Daiane Reis relembra que o roteiro nasceu de uma situação real e infeliz, mas que gerou a oportunidade de levar o aprendizado adiante. “Estávamos nesse período de pandemia em casa, minha filha de três anos e eu. Passou uma criança branca, de pele clara e olhos claros, e, quando avistou a gente, ela apontou e falou: ‘olha que menina feia, parece um urubu’. Essa criança devia ter por volta de cinco ou seis anos no máximo”, contou.

Pensando no que fazer diante da situação, ela convidou outra professora, Flávia Louredo, que também vivenciou um episodio de preconceito, e as duas produziram o curta que foi o ganhador na categoria Profissionais da Educação.

Conheça os trabalhos:

Categoria Estudantes

É Tarde – Briza Mantzos, 3ª série do Ensino Médio, CEM Elefante Branco

Direção, roteiro, fotografia, sonoplastia e edição: Briza Mantzos

Atuação e narração: Victor Romero e Wendy Rocha

Sinopse: Victor vê uma mulher que está tomando café dentro do metrô. Sem entender o desejo de se vestir e de ser igual a ela, entra em seu espaço mental para conversar com a parte de si mesmo que está no processo de descoberta. Cheio de medo do que vão dizer, ele precisa decidir se consegue ser para todos o que sempre soube que era.

 

Categoria Profissionais da Educação

A Flor de Ayana – Danielle Daiane Reis, profª de Atividades, CRE de Samambaia

Roteiro, narração e edição: Danielle Daiane Reis

Ilustração e fotografia: Flávia Louredo

Intérprete de libras: Rodrigo Cosme

Sinopse: O vídeo retrata, com adaptações, um episódio de racismo contra uma criança, de apenas três anos, vivenciado durante o período da pandemia. Esta situação, apesar de despertar um sentimento de revolta e tristeza, nos impulsiona a lutar fortemente por uma educação para a diversidade. O fato de a atitude racista partir de uma outra criança reafirma o quanto é importante e urgente uma educação antirracista desde a educação infantil.

 

Melhor filme das cinco últimas edições do Festival de Curtas

O Privilégio – Centro de Ensino Fundamental 602 do Recanto das Emas

Roteiro, direção, edição, animação e fotografia: Marcos Camargo

Professor orientador: Edmar de Oliveira

Sinopse: E quando existem vantagens apenas para um indivíduo ou um grupo, em detrimento de muitas outras pessoas, podemos chamar de privilégio?

Escola: Centro de Ensino Fundamental 602 – CRE Recanto das Emas

#Curtadecasa

Neste ano, como medida de segurança para conter a disseminação da Covid-19, a SEEDF não realizou o Festival de Curtas das Escolas Públicas do Distrito Federal – evento organizado pela equipe da Gerência de Mídias Pedagógicas – Canal E, com o mesmo objetivo da Mostra On-line e que fazia parte do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, um dos principais do país.

A 1ª Mostra On-line de Curtas das Escolas Públicas do Distrito Federal #Curtadecasa foi uma oportunidade de dar continuidade por meio virtual às atividades propostas pela Secretaria de Educação

Nesta edição, não houve premiação. Para estimular a participação, foram pré-selecionados e veiculados na página do festival 40 filmes inéditos, sendo 20 produções dos anos finais do Ensino Fundamental, do Ensino Médio, EJA e Educação Profissional, e 20 dos servidores das carreiras magistério e assistência à educação. Também foram veiculados 30 filmes das cinco últimas edições do Festival de Curtas.

Votação

A partir da veiculação, os trabalhos puderam ser votados pelo júri popular. As produções inéditas têm, no máximo, dois minutos duração, com tema livre. Puderam concorrer documentários, animações, ficção e vídeos experimentais, entre outros gêneros.

Na categoria estudantes, dos 1.278 votos, 400 foram para o vencedor. Os trabalhos de profissionais da educação tiveram 1.148 votos e o escolhido recebeu 597. Para o melhor filme das últimas cinco edições, 255 pessoas opinaram e, destas, 239 elegeram o ganhador.

Visite a página da 1ª Mostra On-line de Curtas das Escolas Públicas do Distrito Federal #Curtadecasa

 Com informações da Secretaria de Educação