Durante a sessão da Câmara Legislativa, nesta quarta-feira (3), o sistema prisional voltou a ser tema de manifestações de parlamentares. O debate começou a partir do pronunciamento do deputado Fábio Felix (PSOL), que abordou denúncias de violações de direitos em centros penitenciários e questionou os serviços prestados visando à ressocialização dos presos.

“As instituições correm muito longe do que são seus objetivos. Para que servem, só para punir? Como isso pode servir para a sociedade? A pessoa precisa sair melhor do que entrou e sem continuar reincidindo”, argumentou. “Não tem uma solução fácil, mas são necessários investimentos e melhorias no sistema, desde condições de trabalho a oportunidades dadas lá dentro”, defendeu. Felix ainda criticou a suspensão das visitas na semana passada, sem avisar aos familiares dos detentos.

Segundo o deputado Reginaldo Sardinha (Avante), as visitas foram suspensas porque foram encontrados 90 “estoques” – armas artesanais – na penitenciária, “provavelmente, para motim”. “Para mim, eles deviam ficar 365 dias isolados. A vida dos visitantes estava em risco”, disse. E emendou: “O sistema precisa ressocializar, e os policiais estão aptos a isso”.

O deputado Hermeto (MDB) também opinou sobre o assunto: “O sistema está sobrecarregado e com dificuldades, mas aqui fora tem gente que não tem três refeições por dia”.

Denise Caputo - Agência CLDF