Sandra Faraj critica PTB, mas continua na legenda

 A ex-deputada e pastora Sandra Faraj (PTB-DF) disse, nesta segunda-feira (4), que pretende se candidatar nas eleições para deputada federal, em 2022. “ Essa é minha pretensão nesse momento”, afirmou, em entrevista ao Tudo Ok Notícias.

A pastora passou o final de semana estudando às novas regra eleitorais aprovadas no Congresso Nacional. “Para quem está começando na vida política e não têm base política não vai ser fácil”, frisou ela.

Bandeiras

A ex-deputada, no entanto, diz ser ideológica e crê que as bandeiras que defende estão na Câmara Federal e afirmou que não está na política por “cargozinho”. “Não aceitei nenhum cargo. Política não é cargo – não é contrato. Política são bandeiras. Há quem pense diferente.”

“Igreja não está à venda”

Em relação à liminar ( leia mais abaixo) impetrada na Justiça, pelo pastor Fadi Faraj – contra a presidente interina da sigla, Graciele Nienov, no comando do PTB Nacional – desde que o seu presidente, o ex-deputado federal Roberto Jefferson, foi preso no quadro do inquérito tocado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) – que investiga milícias digitais.

 

Sandra Faraj entende que não foi uma ação de forma democrática da presidente interina Graciele. “Foram questões pessoais. Graciele Nienov queria o apoio da igreja Comunidade Cristã Minisério da Fé, à fórceps. A igreja não está à venda, ela não entra em nenhuma negociação. Você não pode utilizar seu quórum ideológico. Ele está ali porque acredita na palavra de Deus”, disse Sandra.

Segundo Faraj, a vice de Jefferson tem a pretensão de uma das vagas na Câmara Federal por Brasília. “Ela quis forçar uma situação. Na hora que ela viu que não negociamos princípios em hipótese alguma, no dia seguinte, Graciele virou a chave e destitui toda executiva e antecipou o prazo do diretório de Brasília.”

Faraj afirmou que a ida dela para o PTB ocorreu por acreditar ser um partido que foca na democracia, na liberdade de expressão e na coerência.

“Acreditávamos que (o PTB) era contra a corrupção. Em tudo isso e não foi o que nós encontramos. A atitude do Fadi Farad foi extremamente correta. A Justiça existe para dirimir questões que as pessoas não conseguem dirimir. Se na conversa, no bom senso não houve acordo, ela é acionada”, afirmou a ex-deputada.

Convites de partidos

Sandra disse que recebeu convites de outros três partidos. “Tenho buscado uma orientação de Deus, conversado com meus companheiros e estudando cenários. Eu acho que essa semana vai ser muito importante para a nossa decisão partidária. Mas eu estou tranquila sobre o partido e tenho até abril para decidir sobre o partido. “

Por

 Maurício Nogueira