As Câmeras de segurança ajudaram a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), a identificar o suspeito de matar e atear fogo em uma mulher no Recanto das Emas (DF). O homem já havia sido preso na última segunda-feira (18), e deve responder pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver.

Nas imagens é possível ver o exato momento em que o acusado do fato criminoso arrasta, com dificuldades, o possível corpo da mulher de 46 anos, pela rua, enrolado em um cobertor. A vítima que sofria de esquizofrenia, estava desaparecida desde o dia 31 de agosto, quando parentes da mulher procuraram a polícia para registrar o desaparecimento. 


Segundo os familiares, a vítima tinha costume de andar sozinha, porém nunca chegou a se ausentar por um longo período sem voltar para casa. Depois de dez dias do seu desaparecimento, agentes da PCDF encontraram o corpo de uma mulher carbonizado nas imediações do Fórum do Recanto das Emas. Após a realização de um exame de DNA foi confirmado que se tratava da mulher desaparecida.
De acordo com as investigações, o acusado do delito criminoso residia próximo da casa da vítima e chegou a trabalhar em um canteiro de obras perto da residência. Durante depoimento, ele negou a autoria do crime.
 
O caso está sendo investigado pela 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas). "É um indivíduo bastante frio, que debochou tanto da polícia, como da própria Justiça, ocultando o cadáver na frente do Fórum", informou o delegado Pablo Aguiar.
 
AUMENTA DE CASOS DE FEMINICÍDIO
 
Nos últimos dias vem aumentou os índices de violência contra a mulher no Distrito Federal. Com os novos registros, os números já ultrapassam as ocorrências em 2020. Até 10 de setembro deste ano, a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF) contabilizou 17 ocorrências de feminicídio no DF.
 
Vale lembrar, que a estudante de Direito Milena Gonçalves, 24 anos, foi estrangulada, no último sábado, dentro da sua própria residência. Outra ocorrência que chamou atenção foi o assassinato da empresária Olívia Makoski, 47 anos, que foi morta a tiros, no domingo (17). As investigações apontam que o autor do crime tenha sido o ex-marido da vítima, Francisco de Assis, que se matou em  seguida.
Uma mulher morreu, na última segunda-feira (09), quando seu companheiro a agrediu com uma barra de ferro. Ela chegou a ser encaminhada a uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Da redação com informações do site Estrutural On-line