Informação foi confirmada pela assessoria do governo local; gestão será interina. Outros dois nomes chegaram a ser anunciados nesta quinta (26), antes de decisão final.

O governador Ibaneis Rocha (MDB) vai assumir interinamente a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF). A informação foi confirmada pela assessoria do Palácio do Buriti na noite desta quinta-feira (26), após a exoneração do secretário Osnei Okumoto.

As mudanças devem ser oficializadas no Diário Oficial desta sexta (27). Até a última atualização desta reportagem, o governador não tinha comentado os motivos da decisão.

Entre o fim da tarde e a noite, outros dois nomes chegaram a ser anunciados como os novos responsáveis pela pasta. Primeiro, foi a vez do médico ortopedista Alberto Aguiar Santos Neto mas, segundo o governo local, ele "decidiu não assumir o cargo por motivos pessoais, principalmente de ordem familiar".

Em nota, o Executivo disse que a pasta seria assumida interinamente pelo secretário de Governo, José Humberto Pires. Mas, minutos depois, veio o anúncio de que Ibaneis passaria a ser o responsável pela pasta.

Saída de Okumoto

Secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, em entrevista coletiva — Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, em entrevista coletiva — Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Segundo o Palácio do Buriti, Osnei Okumoto "pediu exoneração do cargo e vai voltar à presidência do Hemocentro". Mas, questionado pela TV Globo sobre a substituição, o governador Ibaneis disse que "precisa de um gerente". A reportagem apurou que havia uma insatisfação recente com o trabalho do secretário.

Osnei não participou da entrevista coletiva sobre medidas contra a Covid-19 nesta quinta. Ele costumava responder perguntas nesses encontros. No lugar dele, esteve o secretário adjunto de Gestão em Saúde, Arthur Felipe Siqueira de Brito, que também deve deixar o cargo.

Esta é a segunda vez que o secretário é exonerado da pasta. Ele assumiu o cargo em janeiro de 2019, no início da gestão Ibaneis. Em março do ano passado, após o começo da pandemia, Osnei pediu demissão da Secretaria de Saúde (SES-DF) e assumiu a presidência do Hemocentro.

À época, Francisco Araújo foi nomeado secretário de Saúde. No entanto, ele foi exonerado em setembro do ano passado, após ser preso em meio às investigações da operação Falso Negativo, que apurou fraudes na compra de testes rápidos de Covid-19. O Ministério Público afirmou que Francisco "capitaneava uma organização criminosa". Ele nega as acusações.

Com a saída de Araújo, Osnei voltou a comandar a SES-DF. Neste mês, ele completou 11 meses à frente da pasta

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.