A atitude do pequeno Enzo, de seis anos de idade, chamou a atenção dos bombeiros do batalhão que fica no bairro Country Club, na cidade de Poços de Caldas, no Sul de Minas. Na última quinta-feira (19), o garoto foi até o batalhão não só para conhecer o trabalho da corporação, mas deixou também um “currículo” informando a vontade de fazer parte da equipe.

Em um envelope pequeno, o garoto escreveu que seu sonho é trabalhar no Corpo de Bombeiros. “Por isso estou deixando meu curriculum, caso vocês precisem. Eu gosto muito de mexer com água e quero apagar o fogo”, disse Enzo no documento.
Ao BHAZ, a sargento Paola conta que todos os militares ficaram surpresos com a atitude do menino. “A gente fica muito emocionado, é muito gratificante quando vem uma criança e fala que quer ser bombeiro, isso acaba que dá uma energia para gente trabalhar todos os dias”, disse.

‘Currículo’ do pequeno Enzo entregue aos bombeiros de Poços de Caldas (Reprodução/@1ciaindbm_pocosdecaldas/Instagram)

Criatividade chama atenção dos bombeiros
Paola explica também que os bombeiros sempre recebem visita de crianças, mas foi a primeira vez que uma delas chegou com o intuito de trabalhar no lugar. “Ele chegou aqui com os pais e o irmão e trouxe pra gente o envelope com o currículo dentro”, relembra.

“No momento a gente ficou surpreso, foi muito inusitado e criativo. No currículo tinha até a foto dele. A gente ficou bastante lisonjeado”, continua. A sargento diz também que no batalhão existe um pequeno uniforme, uma farda infantil, separa especialmente para as crianças que visitam o quartel: “Fica disponível para os pequenos [usarem] quando vêm aqui.”
Enquanto Enzo não pode ocupar um cargo por conta da pouca idade, os bombeiros proporcionaram ao garoto um dia de “herói” no quartel, com direito a treinamento com mangueira de combate à incêndios e uma pequena tour pelo conhecido caminhão vermelho.

“A gente tinha uma viatura disponível, um caminhão, e a gente perguntou se ele queria conhecer. Colocamos a farda nele e o capacete, levamos ele no caminhão, ele fez um ‘treinamento’ com a mangueira, ele se divertiu muito. A gente ficou feliz e acreditamos que ele também tenha ficado”, finaliza a sargento.

BHAZ Edição: Giovanna Fávero