Alunos das redes pública e privada do Distrito Federal revelam seus talentos pelas pinturas

O trabalho artístico de estudantes das redes pública e privada do Distrito Federal com altas habilidades e superdotação está sendo divulgado na exposição Altas Artes na Subin. Ao todo, foram selecionadas 30 obras produzidas por alunos matriculados na educação infantil, no ensino fundamental e no ensino médio, nos anos de 2021, 2020 e 2019.

As obras estão expostas no 5º andar do edifício-sede da Secretaria de Educação do Distrito Federal, onde funciona a Subsecretaria de Educação Inclusiva e Integral (Subin). A secretaria está localizada no Setor Bancário Norte, Edifício Phenícia. As pinturas podem ser conferidas por todos os servidores do local e também por visitantes.

“Os trabalhos aqui são demais. Estou muito feliz de retomar essa ação de expor os quadros desses meninos. Eles são brilhantes! As obras são de alto nível e dá muito orgulho de ver o que estudantes e professores estão realizando nas escolas. Essa exposição cria uma identificação, porque você tem oportunidade de ver a obra e ver também quem foi que produziu esse trabalho relevante”, frisa Vera Barros, subsecretária da Subin.

Professor Antônio Obá com pintura de estudante de Taguatinga | Fotos: Mary Leal / Secretaria de Educação

A exposição apresenta quadros de estudantes de Taguatinga e Ceilândia. As obras ficarão no local até outubro e cada dois meses serão trocadas por outras de alunos das demais regiões administrativas do DF.

O professor Antônio Obá foi o curador das obras dos estudantes de Taguatinga. A sala de recursos do Centro de Altas Habilidades da região atende cerca de 137 pessoas. “Ajudamos nossos estudantes a desenvolverem seus talentos de acordo com a área de interesse de cada um. Dentro do que eles sabem e gostam, podemos desenvolver novas técnicas, mostrar outras possibilidades da arte”, conta.

Os caminhos da história do professor Antônio se cruzaram com a rede pública desde a infância. Ele estudou em escola pública e descobriu muito da sua vocação artística justamente em uma sala de recurso. Anos depois, retornou à Secretaria de Educação como servidor, onde dá aulas de artes desde 2012.

Arte integrada à vida

Em Ceilândia são atendidos 150 estudantes com altas habilidades e superdotação em projetos nas salas de recursos. Durante a pandemia, os professores da rede pública continuaram as atividades no ensino remoto.

Os docentes de Ceilândia trabalharam as aulas de arte junto com outras atividades integradas à vida dos estudantes. As ações incluíam filmes, rodas de conversa on-line, encontros virtuais para conversar com as famílias dos alunos e muito diálogo com cada um deles. Esses momentos recebiam o acompanhamento de psicólogos da Secretaria de Educação.

“Desenvolvemos nosso trabalho de acordo com a disponibilidade do aluno para manter esse vínculo, mesmo sem o encontro físico. Nossa maior preocupação foi com o emocional dos estudantes. Sabemos que a questão psicológica equilibrada é fundamental para que o estudante com altas habilidades desenvolva seus talentos. Foram momentos curativos de muita escuta e acolhimento”, revela Cláudia Marciel, que integra a equipe de atendimento desse público em Ceilândia.

 As aulas presenciais nas salas de recursos da rede pública do DF serão retomadas ainda este mês.

 Histórico de valorização

A Secretaria de Educação do DF completa 45 anos de atendimento especializado para estudantes com altas habilidades e superdotação. Além daqueles matriculados na rede pública, são atendidos 30% de alunos da rede particular, com atividades no contraturno nas salas de recurso.

O mês de agosto marca duas datas especiais para a educação nessa área. O Dia Mundial da Superdotação é lembrado no dia 10, e o Dia do Profissional de Altas Habilidades e Superdotação, dia 20.

A decisão de iniciar a exposição Altas Artes na Subin no corrente mês foi justamente para valorizar todos os envolvidos nesse universo.

A Subin também está oferecendo formações para os profissionais que atuam com altas habilidades e superdotação. Há cursos on-line com capacitação para esse segmento uma vez por mês.

 Com informações da Secretaria da Educação