Ação beneficiou o Instituto Vida Positiva e a Fraternidade Assistencial Lucas Evangelista

Duas instituições sociais do Distrito Federal receberam, nesta sexta-feira (23), 120 cestas básicas com o intuito de amenizar os impactos decorrentes da pandemia de covid-19. As doações feitas pela Comunidade do Caribe (Caricom) foram viabilizadas com apoio do Escritório de Assuntos Internacionais do Governo do Distrito Federal (EAI/GDF) e integram a campanha Solidariedade Salva, promovida pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes).

Representantes do GDF e da Comunidade do Caribe fizeram a entrega das cestas às duas instituições na sede do Instituto Vida Positiva | Fotos: Divulgação/EAI-DF

As instituições contempladas são a Fraternidade Assistencial Lucas Evangelista (Fale) e o Instituto Vida Positiva, onde foi realizada a entrega simbólica das doações. Coordenada por Vicky Tavares, ou “vovó Vicky”, a instituição atende cerca de 27 crianças, adolescentes e jovens portadores ou cujos responsáveis são portadores de HIV.

Cerimônia

“Moramos aqui e fazemos parte desta sociedade, então temos dever de contribuir com o bem-estar de todos”Marlon Mohamed Hoesein, embaixador do Suriname e presidente da Caricom

Representando o EAI, o subchefe do Escritório, Emiliano Abreu, expressou sentimento de honra por fazer parte “desse esforço coletivo”. “Os integrantes da Caricom exercem, cada um, uma representação diplomática, mas também representam um grupo de países que reconhecem que juntos podem mais. Nós, do EAI, nunca caminhamos sozinhos, sempre contamos com parceiros para efetivar ações”, lembra o gestor.

O representante da Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância do GDF, Alexandre Nakagawa, agradeceu os esforços que viabilizaram a iniciativa, especialmente neste período de pandemia. “O trabalho dessas instituições sociais é realmente brilhante e engrandecedor”, comenta.

O presidente da Caricom e embaixador do Suriname, Marlon Mohamed Hoesein, lembra que a ação também celebra os 48 anos do grupo no Brasil. “Moramos aqui e fazemos parte desta sociedade, então temos dever de contribuir com o bem-estar de todos”, declara. Para as crianças atendidas, o embaixador deixou um recado. “Sigam seus sonhos e terão sucesso”, afirma.

O Vida Positiva atende 27 crianças, adolescentes e jovens portadores ou cujos responsáveis são portadores de HIV. A venda da Farofa Solidária é uma das formas de arrecadação da entidade

Vida Positiva

Na ocasião, a vovó Vicky também falou sobre o trabalho desenvolvido. “Tivemos muita dificuldade em montar nossa instituição devido ao preconceito, mas o amor vence tudo”, argumenta. “Distribuímos cestas básicas e lanchinhos para pessoas que fazem exame de carga viral. Além disso, servimos almoço para cerca de 100 pessoas que realizam exames relacionados ao HIV em um hospital próximo”, relata.

Os lanchinhos são carinhosamente preparados com auxílio das crianças do Vida Positiva aos sábados. “Passo esses valores para eles, dizendo que precisam trabalhar para conquistar as coisas e também precisam ser solidários”, ensina a vovó.

Atualmente, o instituto conta com 12 funcionários. As crianças participantes da instituição têm atendimento odontológico, psiquiátrico, além de apoio para frequentar aulas regulares e até aulas de informática. Tudo isso é possível graças ao apoio de parceiros e à venda da Farofinha Solidária, feita com muito capricho pela vovó.

Para saber mais sobre a Instituição Vida Positiva, visite o site da instituição. E quem se interessar em adquirir uma das farofas artesanais, pode visitar a página @vovisgourmet no Instagram.

Com informações do Escritório de Assuntos Internacionais do GDF