Autor da audiência, Fábio Felix destacou que a categoria tem "um projeto ético-político, uma doutrina profissional orientada para a luta em defesa das pessoas em situação de vulnerabilidade. 

A crise sanitária causada pela pandemia da Covid-19 impactou com mais intensidade as pessoas em situação de vulnerabilidade social. No Brasil, a situação se agrava, com a taxa mais alta de desemprego desde 2012, segundo o Instituo Brasileiro de Geografia e Estática (IBGE). Nessas situação, a população dependem cada vez mais de amparo social para sobreviver, como o auxílio emergencial concedido pelo Governo Federal. 

Nesta sexta-feira (14), véspera do Dia do Assistente Social, figura importante na luta contra a desigualdade social, a Câmara Legislativa realizou audiência pública remota comandada pelo deputado Fábio Felix (PSOL), a fim de debater a situação do profissional no combate à Covid-19. O parlamentar, que é assistente social, não atuante no momento por exercer cargo no Poder Legislativo, convidou representantes da categoria para a reunião.  

No início da audiência, o deputado frisou a importância da profissão, que “tem um projeto ético-político, uma doutrina profissional orientada para a luta em defesa das pessoas em situação de vulnerabilidade, uma orientação profissional que entende as contradições e deve denunciar nos seus postos de trabalho tais contradições, entendendo as realidades concretas e transformando em uma agenda capaz de mudar e intensificar as políticas públicas”, afirmou Fábio Felix.  

A diretora do Decanato de Assuntos Comunitários da Universidade de Brasília, Flávia Squinca, apresentou em sua fala um projeto realizado juntamente com acadêmicos do curso de Serviço Social, intitulado como “Cartas Solidárias”, que tem como objetivo levar palavras alentadoras aos profissionais de diversas áreas que atuam na linha de frente da luta contra a Covid-19. 

Leonardo Ortegal, professor do Departamento de Serviço Social da UnB, destacou que o serviço social é uma área tão importante quanto as outras e que também é considerada uma atividade essencial no contexto da pandemia e de uma epidemia de violência, presente no Brasil há muitos anos.

“Profissionais como assistentes sociais são fundamentais para que possamos incidir na transformação da realidade que produz e reproduz este estado de coisas [epidemia da violência]”, disse o professor. 

Para a presidente do Conselho Regional de Serviço Social – DF (CRESS), Karina Figueiredo, a precarização das políticas públicas tem sido um dos principais fatores que afetam na atuação profissional dos assistentes. Ela também mencionou a falta de recursos básicos para os trabalhadores como equipamentos de proteção individual e salas para atendimento adequado, por exemplo. 

A presidente ainda tratou do trabalho da categoria no enfrentamento à pandemia. “Os assistentes dos hospitais de campanha têm de fotografar os corpos das pessoas que vão a óbito por Covid, têm de ir aos necrotérios, acompanhar agentes funerários. Esses são processos equivocados que geram, inclusive, adoecimento dos colegas”, apontou Karina. Ela questionou ainda a forma de contratação de funcionários, que não obedecem às normas trabalhistas.   

Na sequência, o deputado do PSOL reproduziu um vídeo do CRESS-DF, em que apresenta experiências e relatos de diversos profissionais do serviço social. Felix finalizou a reunião parabenizando os estagiários que estão em formação e em preparação para atuarem no ofício e em diferentes campos profissionais, declarando-os como fundamentais em suas atividades. 

 Por: Warley Júnior (estagiário) - Agência CLDF, site: https://www.cl.df.gov.br/-/deputado-f-c3-a1bio-felix-realiza-audi-c3-aancia-p-c3-bablica-para-debater-sobre-a-import-c3-a2ncia-do-assistente-social-no-combate-c3-a0-covid-19