Para o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, “o objetivo dessa pesquisa é ter uma noção clara de como o vírus circulou e qual o comportamento que ele terá, futuramente, nas Regiões do DF”.

O inquérito é realizado em parceria entre a Secretaria de Saúde, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e os militares do Corpo de Bombeiros. Em média, são 230 casas sorteadas por Região Administrativa. Os profissionais realizam a testagem em apenas um morador maior de 18 anos da casa sorteada. Os testes utilizados foram doados pela Federação do Comércio, Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio).

“O teste feito é do tipo sorológico que detecta os anticorpos IGG/IGM, o que permite identificar se o indivíduo já teve uma infecção passada pelo novo coronavírus, se tem uma infecção atual ou se nunca teve contato com o vírus. Além do teste, o morador responde a um questionário epidemiológico”, explica o subsecretário substituto da Vigilância à Saúde, Cassio Perteka.

O estudo começou por Ceilândia e até o dia 17 de dezembro foram visitados 2.059 imóveis em nove Regiões Administrativas: Ceilândia, Brazlândia, Sol Nascente/Pôr do Sol, Águas Claras, Arniqueira, Recanto das Emas, Samambaia, Taguatinga e Vicente Pires. Todas as 33 Regiões Administrativas do DF serão visitadas.

Dos 2.059 imóveis sorteados e visitados foi possível realizar a pesquisa em apenas 52% das casas. Nos outros 48% dos imóveis houve recusa pelos moradores ou não havia ninguém em casa.

“Os profissionais que atuam na ação estão devidamente uniformizados e nos carros da Secretaria de Saúde e do Corpo de Bombeiros. Nós pedimos que a população nos ajude e recebam esses agentes em casa. A partir da adesão dos moradores conseguiremos traçar um melhor perfil epidemiológico da Covid-19 no DF e planejar as ações de enfrentamento à doença”, destaca o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

Dos 1.077 moradores testados, 80% apresentaram IGG/IGM negativos, 17% positivos e 3% inconclusivos. Do percentual de positivos, em 82% foi identificada a infecção passada (+IGG), em 13% infecção atual (+IGM) e em 5% o exame deu reagente para o IGG e IGM, mostrando que o morador já apresenta anticorpos para o novo coronavírus, mas sua infecção ainda é recente.

Para os casos de infecção recente, o profissional que realizou o teste indica as recomendações de saúde necessárias, como o isolamento de 14 dias e, se houver sintomas, o atendimento médico. As 172 unidades básicas de saúde (UBSs) estão abertas para atender os pacientes que tenham sintomas da Covid-19. Em casos mais graves, como dificuldade respiratória, os enfermos serão transferidos para os hospitais.

 Com informações da Secretaria de Saúde