De acordo com Polícia Civil, homem pedia que vítimas enviassem 'nudes' pela internet. No celular do investigado foram encontrados arquivos pornográficos de crianças.

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu, nesta quarta-feira (16), um homem, de 31 anos, suspeito de aliciar crianças moradoras de Brasília, por meio das redes sociais. A prisão ocorreu na cidade de Eusébio (CE) e o investigado será trazido para o DF.

Servidor público federal é preso em operação contra pornografia infantil no DF

Homem preso por manter conversas sexuais com crianças no DF pode ter feito até 100 vítimas, diz polícia

De acordo com a Polícia Civil, o homem pedia para que as vítimas enviassem "nudes" para ele. No celular do homem, os policiais encontraram vários arquivos com conteúdos pornográficos de crianças.

As investigações começaram após familiares das vítimas constatarem que as crianças conversavam com adultos que enviavam imagens sexualizadas, por uma rede social. O pedido era para que as vítimas mandassem fotos suas de volta.

A Polícia Civil informou que o homem utilizava perfis falsos, com imagem de crianças, e se apresentava com uma linguagem apropriada a idade. A corporação disse que várias contas "fakes" eram utilizadas pelo suspeito para curtir e comentar publicações do perfil utilizado por ele.

Segundo o delegado-chefe adjunto da 30ª DP, Ulysses Luz, a atuação do homem "é um oceano não mapeado por completo". Os investigadores afirmam que há suspeitas da existência de centenas de vítimas em todo o Brasil.

A Polícia Civil do DF reforça a importância do monitoramento das crianças nas redes sociais. O homem preso 


nesta quarta-feira vai responder pelos seguintes crimes

Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar por qualquer meio, inclusive por meio de sistema de informática ou telemático, fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

Adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

Aliciar, assediar, instigar ou constranger, por qualquer meio de comunicação, criança, com o fim de com ela praticar ato libidinoso.

Com Informações do G1 Brasília