A Câmara Legislativa homenageou o trabalho dos vicentinos em sessão solene na manhã desta quinta-feira (7), transmitida ao vivo pela TV Web CLDF e pelo canal da Casa no Youtube. O autor da iniciativa, deputado João Cardoso (Avante), destacou que a Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP) pratica a caridade, servindo aos pobres e excluídos em silêncio com amor. “Servir é se colocar à disposição sem ver a quem”, explicou, ao afirmar sua identificação com o movimento.

Cardoso lembrou que a entidade, fundada em Paris em 1833, está presente em 152 países, sendo que o Brasil é considerado um dos maiores países vicentinos do mundo. O padroeiro, São Vicente de Paulo, inspira o trabalho de “caridade cristã, que vai além da filantropia, ao unir o âmbito material ao espiritual”, esclareceu o vigário episcopal para Promoção Humana e Obras Sociais da Arquidiocese de Brasília, padre Carlos Henrique Oliveira. 

Para o presidente do Conselho Geral Internacional da entidade, Renato Oliveira, a homenagem da Câmara Legislativa é um reconhecimento à caridade vicentina. “As visitas semanais aos pobres são a nossa maior homenagem”, pontuou o presidente do Conselho Metropolitano de Brasília da SSVP, José Alves Jerônimo. Todas as receitas da entidade são frutos de doação e campanha, informou.

Pandemia

O representante da Paróquia Imaculada Conceição, Vanderlides Carmo, foi um dos vicentinos que relatou os desafios do trabalho durante a pandemia. Uma das soluções foi realizar a tradicional campanha do quilo via drive thru, pontuou, ao enfatizar que “a evangelização é tão importante quanto o alimento”. Do mesmo modo, o presidente do Conselho Particular de Sobradinho, João Gomes da Silva, reforçou que “o coração precisa estar voltado à caridade”, ao dispor sobre a união entre os grupos que atuam naquela cidade.

“Tínhamos pobres, hoje temos miseráveis no DF”, considerou a coordenadora de Formação do Conselho Metropolitano de Brasília, Maria Vera Domingos, ao salientar que a sociedade vicentina atua para que não falte o essencial, como o alimento, o vestuário, o material escolar e a moradia.

Ela narrou que os trabalhos aumentaram, principalmente junto à população em situação de rua durante a pandemia.

Segundo o presidente do Conselho Central Divino Espírito Santo, Gilson Sacramento, a central atua em nove cidades do DF e o número de famílias atendidas praticamente dobrou na pandemia. Houve a necessidade de socorrer mais pessoas, inclusive no acolhimento a refugiados de outros países, contou. Ele ainda destacou os empreendimentos sociais, como pizzarias e carrinhos de churrasco e pipoca, que resgatam a autonomia financeira e a dignidade das famílias. Sacramento foi um dos vicentinos condecorados com moção de louvor ao final do evento.

Franci Moraes - Agência CLDF