O pavilhão Florabraz é ocupado por 30 estandes de produtores apoiados pela Emater-DF, que vendem diversos tipos de mudas já em ponto de transplante

Trouxemos mudinhas de plantas que as pessoas costumam cultivar em hortas já no ponto de transplante. É só chegar em casa e colocar no quintal ou em um vaso”Viviane Maria da Conceição Gama, produtora

Um pavilhão inteiro todo florido. Assim é o espaço Florabraz da 25ª Feira do Morango de Brasília, que ocorre na área da Associação Rural e Cultural Alexandre de Gusmão (Arcag), em Brazlândia. Trinta produtores atendidos pela Emater-DF estão no local, onde é possível encontrar flores, plantas ornamentais, mudas de temperos e hortaliças e até árvores frutíferas.

“Trouxemos mudinhas de plantas que as pessoas costumam cultivar em hortas de casas ou de apartamentos já no ponto de transplante. É só chegar em casa e colocar no quintal ou em um vaso”, conta Viviane Maria da Conceição Gama, 36 anos, mostrando os pés de alface, cebolinha e até de maracujá.

Para o gerente da Emater-DF em Brazlândia, Hélio Lopes, a Florabraz é uma oportunidade importante, tanto para produtores, que conseguem ter contato direto com o consumidor, quanto para visitantes da feira.

Quem mora nas áreas urbanas muitas vezes tem dificuldade de encontrar determinadas plantas. Aqui, a pessoa pode encontrar o que precisa e ainda conversar direto com o produtor”, conta Lopes, lembrando que o espaço já é tradicional nas festas do morango e da goiaba do DF.

Contato direto

Federica Cordeiro dos Santos, 37, moradora do setor rural de Ceilândia, participa do evento e conta que começou a cultivar rosas e gerânios por prazer de cuidar das flores. Ela garante que tem “toda a paciência do mundo” para explicar, a quem decidir levar uma de suas mudas para casa, sobre os cuidados necessários a cada uma das plantas.

“Comecei a cultivar flores porque gosto muito e plantei essas aqui com muito carinho. Somente depois foi que isso virou um negócio”, relata a produtora rural, mostrando as roseiras floridas que levou para a feira.

Se alguém quiser alguma planta que não estiver na Florabraz, há como resolver isso também. Produtora de Rajadinha, núcleo rural de Planaltina-DF, Fernanda Freiman Costa, 33 anos, conta que levou para a Feira do Morango tudo que produzia e era possível transportar e vender no espaço, desde bromélias até pequenas palmeiras.

“Na chácara, tenho plantas bem maiores do que essas, mas, se a pessoa vier aqui e quiser algo que só tenho em casa, vemos como atender”, explica Fernanda.



Feira do Morango

A 25ª Feira do Morango de Brasília começou oficialmente na última sexta-feira (3), abre novamente nesta sexta-feira (10) e se estende até domingo (12). O horário de funcionamento é das 10h às 22h, com acesso livre.

Devido à pandemia, o uso de máscaras é obrigatório, tanto nos espaços fechados quanto ao ar livre. Em todos os estandes, há álcool gel disponível.

O evento é organizado pela Arcag e pelo Instituto Rosa dos Ventos, com apoio da Emater-DF, Administração Regional de Brazlândia e Secretaria de Turismo.

Com informações da Emater-DF