O Brasil está polarizado e que “se a gente pensa diferente, a gente é inimigo”, disse apresentador durante entrevista ao Fantástico


Contagem regressiva para a estreia do  “Domingão com Huck”, na TV Globo. A atração dominical terá a apresentação de Luciano Huck, que confirmou durante entrevista a Renata Ceribelli, no Fantástico, deste domingo (29), que tinha pretensões de lançar seu nome para disputa da sucessão presidencial, nas eleições de 2022.
 
Na oportunidade, o apresentador falou sobre os motivos que o influenciaram a entrar na disputa eleitoral.
 
“Obviamente que eu pensei nisso [na candidatura]. O que me fez pensar [nisso] foi uma conjuntura em que um país que tem uma enorme potencialidade como o Brasil e uma enorme desigualdade como o Brasil, eu adoraria que fosse o país do futuro, como sempre nos foi colocado e não aconteceu até hoje”, afirmou.
 
Com relação a mudança de planos, Huck revelou que decidiu sair da disputa por chegar a conclusão que  sua continuidade na televisão era “o que tinha que fazer”. No entendimento do apresentador, o Brasil está polarizado e que “se a gente pensa diferente, a gente é inimigo”.
 
“Eu não cheguei a desistir [de concorrer]. Eu acho que eu estar aqui, estreando o Domingão na semana que vem, é o que eu tinha que fazer, é orgânico, é o que eu sei fazer, é a minha contribuição. O país está dividido. Se a gente pensar diferente, a gente é inimigo, se a gente não gosta das mesmas coisas, a gente não pertence ao mesmo grupo”, finalizou.

Da redação Estrutural On-line