Pelo menos um terço dos agendamentos vai encaminhar o cidadão para as 27 unidades

A vacinação dos trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (Suas) avançou. Cerca de 800 pessoas, entre servidores da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) e prestadores de serviços das entidades parceiras, tomaram pelo menos uma das doses do imunizante. Com isso, a pasta amplia a retomada do atendimento presencial nas unidades do Centro de Referência da Assistência Social (Cras).

Apenas em janeiro, as 27 unidades do Cras do DF atenderam 15 mil pessoas. Além de acabar com a espera que acontecia na porta das unidades, o novo modelo ampliou a assistência | Foto: Divulgação/Sedes

Pelo menos um terço dos agendamentos é destinado ao atendimento presencial ao cidadão, nas 27 unidades. A medida foi estabelecida nesta semana, com o objetivo de seguir com a retomada gradual do trabalho convencional executado nesses locais.

“Mesmo com a instalação da pandemia, no ano passado, as unidades não interromperam o serviço”, lembra a secretária de Desenvolvimento Social substituta, Ana Paula Marra.

De acordo com a gestora, o trabalho foi readaptado para continuar assistindo à população, mas com observância das medidas de segurança e higiene para o cidadão e para o servidor

“O Centro de Convivência, do Riacho Fundo, por exemplo, além da oferta remota do serviço e atendimento socioassistencial às famílias referenciadas, passou a reforçar também o atendimento da demanda do Cras Samambaia, uma das maiores do DF”, explica Ana Paula Marra.

Retorno gradual

De janeiro até junho, foram realizados 102.956 atendimentos socioassistenciais na rede de proteção social do Distrito Federal

Desde o fim do ano passado, a Sedes implantou o agendamento para, em janeiro, voltar gradualmente a receber o cidadão no Cras. Assim, por meio dessa nova metodologia, as equipes programam o horário específico de ida da pessoa ao posto de serviços. A meta é poupar o tempo e evitar aglomerações.

Quem busca por um atendimento socioassistencial do governo deve fazer a solicitação por meio do site da secretaria ou pelo telefone 156, na opção 1. O sistema registra as características da família e o histórico do usuário e, por meio de uma pontuação, marca os atendimentos por ordem de prioridade e necessidade da família.

Além do atendimento nas unidades, o preenchimento e atualização do Cadastro Único foi ampliado para os sete postos do Na Hora.

Balanço dos atendimentos

De janeiro até junho, foram realizados 102.956 atendimentos socioassistenciais na rede de proteção social do Distrito Federal. Mesmo com adoção do atendimento remoto em razão da pandemia da covid-19, 65.352 famílias foram atendidas nas 27 unidades do Cras do DF.

Apenas em janeiro, as 27 unidades do Cras do DF atenderam 15 mil pessoas. Além de acabar com a espera que acontecia na porta das unidades, o novo modelo ampliou a assistência.

Foram quase mil atendimentos a mais, na comparação com o mesmo período de 2020. Em relação a 2019, foram quase duas mil pessoas a mais recebidas só no Cras.

Com o advento da pandemia, no comparativo dos dados de maio de 2019 com os do mesmo período deste ano, a demanda aumentou em 97,88%. Para ajustar melhor a capacidade de atendimento a essa alta, foi preciso utilizar as informações dos cadastros para priorizar o atendimento às famílias que estariam em situação mais grave.

 Com informações da Sedes