Na tarde de quinta-feira (05/05), policiais civis da 38ª DP (Vicente Pires) deflagraram a Operação Asa Branca e desbarataram um esquema de agiotagem instalado em um condomínio da cidade. A investigação apurava a informação de que um morador de tal condomínio guardava em um galpão diversos veículos obtidos como garantia dos empréstimos em dinheiro a juros que efetuava. O homem, identificado como João Thiago de Sousa Matos, de 37 anos de idade, não estava no local. Porém, no galpão existente em sua casa, havia nove automóveis e um barco, sendo que um dos carros constava como roubado.


Em buscas realizadas na residência, os policiais recolheram diversos documentos relacionados ao crime de usura investigado. Os veículos e os documentos encontrados foram apreendidos.
Em conversa telefônica com alguns dos proprietários, eles confirmaram que haviam deixado seus automóveis como garantia do pagamento dos valores que lhes foram emprestados a juros. Foi ainda apurado que o proprietário do veículo tido como roubado havia realizado uma falsa comunicação de crime.

Tal proprietário compareceu ao local com seu advogado e prestou esclarecimentos na 38ª delegacia. Durante o seu depoimento, fora verificado que o advogado que o acompanhava possuía mandado de prisão condenatória em aberto pelos crimes de estelionato e de dano em áreas de conservação ambiental, motivo pelo qual restou detido e foi conduzido para a carceragem da DCCP.

Por cada crime de usura praticado, o investigado está sujeito a pena de 6 meses a 2 anos de prisão. Pelo crime de falsa comunicação de crime, o proprietário do veículo pode pegar de 1 a 6 meses de prisão.

Solicitamos a divulgação da imagem e do nome do investigado, para que possamos identificar outras vítimas dos crimes de usura por ele praticados.


Assessoria de Comunicação/DGPC
#PCDFemAção
PCDF, excelência na investigação