Unidade vira referência em serviços para tratamentos pós-câncer, vítimas de violência e gestações de alto risco

Policlínica exclusiva em saúde da mulher oferece atendimento de segunda a sexta na Asa Sul e recebe encaminhamentos de outras unidades, como Cleonice, gestante do nono filho|  .

O Distrito Federal tem uma policlínica exclusiva para atendimento à mulher, localizada na Asa Sul. Inaugurado pelo governador Ibaneis Rocha em outubro de 2020, o Centro Especializado de Saúde da Mulher (Cesmu) já atendeu , em seis meses, 3.092 pacientes com seus diversos serviços.

A unidade fica localizada na 514 Sul, onde funcionava uma antiga policlínica. Dispõe de uma vasta carta de serviços voltados à saúde da mulher para pacientes a partir dos 18 anos de idade. Entre suas atividades, o Cesmu também cuida de casos de tratamento pós-câncer, vítimas de violência e gestantes com gravidez de alto risco. O atendimento é realizado das 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.

Alto risco e vítimas de violência

As especialidades ofertadas pelo Cesmu são:
– Acolhimento da gestante de alto risco referenciada;
– Atendimento por equipe multiprofissional com elaboração de Projeto Terapêutico Singular;
– Plano de parto (em casos de gestantes);
– Acesso aos medicamentos necessários para saúde da mulher;
– Acesso ao pré-natal de alto risco;
– Acompanhamento puerperal especializado;
– Ginecologia especializada;
– Práticas integrativas de saúde (especificamente homeopatia e acupuntura);
– Atendimento psicológico;
– Atendimento aberto às vítimas de violência por assistente social e psicólogo;
– Dermatologia especializada;
– Endocrinologia especializada;
– Nutrição especializada.

Checklist completo

Para ser atendida na unidade, a paciente é encaminhada da unidade básica de saúde referência no atendimento da região onde reside por meio da regulação de consultas e exames. O Complexo Regulador faz o encaminhamento. A paciente passa por um acolhimento especializado com profissional de enfermagem.  Ele cumpre um checklist completo, identificando as necessidades da paciente e faz o agendamento das consultas.

A gerente da policlínica, Séfora Hamada, explica que o serviço deve ser solicitado pela unidade de saúde onde a paciente recebe o primeiro atendimento. “É muito importante que todas as regiões de saúde se mobilizem e encaminhem as mulheres vítimas de violência doméstica ou em tratamentos oncológicos para que elas possam ingressar no plano de cuidados que o Cesmu oferece”, recomenda.

Para os próximos meses, existe a previsão de o Cesmu ganhar um mamógrafo para a realização de exames preventivos.


O Centro Especializado em Saúde da Mulher funciona nas instalações da antiga policlínica da Entrequadra Sul 514/515  | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

Atendimento diferenciado

Monalizia da Silva dos Santos, 38 anos, faz acompanhamento no Cesmu há quatro meses. Ela está curada de câncer de mama, há um ano, após um tratamento bem-sucedido no Hospital de Base.

A paciente é acompanhada por profissionais  das áreas de psicologia, ginecologia, nutrição e endocrinologia. Ela considera que a criação da clínica fez toda diferença no seu processo de tratamento pós-câncer por ter um atendimento diferenciado.

“Ter vários atendimentos no mesmo lugar otimiza muito meu tempo e não me fez desistir do tratamento, que será de longo prazo. Eu só tenho a agradecer”, ressalta Monalizia, emocionada.

O time de profissionais conta com médicos residentes do Hospital Materno Infantil de Brasília e possui parcerias com universidades, a exemplo do Uniceub e da Escola Superior de Ciências da Saúde, da Secretaria de Saúde. A residente Micaella Galette, de 24 anos, está se especializando em ginecologia e trabalha no Cesmu durante cinco dias por semana. Ela afirma que no Cesmu “oferecemos tratamento e atenção que as mulheres merecem”.

Continuidade

As mulheres com risco gestacional são acolhidas e recebem todo o acompanhamento necessário que uma gravidez de alto risco necessita. É o caso de Maria Cleonice Santos da Silva, 43 anos, que está grávida do nono filho. Ela foi encaminhada pela UBS de Arapoanga, em Planaltina, há dois meses, para dar continuidade ao pré-natal de alto risco.

“Me sinto muito tranquila após ter iniciado meu acompanhamento de pré-natal, apesar da gravidade da minha gestação. Me sinto em paz e recomendo demais o atendimento do Cesmu. Aqui eu fui acolhida”, diz Cleonice.

 Doações

O Cesmu também participa de campanhas, como a 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza, e de iniciativas solidárias, como o “Cesmu Solidário”, que faz a arrecadação de roupas e alimentos para serem doados para as mulheres catadoras de recicláveis do DF por meio da Centcoop, uma cooperativa credenciada na policlínica, na qual as famílias em situação de insegurança alimentar se cadastram para fazer a retirada dessas doações.

Com informações da Secretaria de Saúde