Astrônomo vai falar sobre a Missão Cruls, a demarcação do território para a escolha da nova capital e as curiosidades sobre a Pedra Fundamental

Ele chefiou a comissão que em 1892 demarcou o quadrilátero de 14,4 mil quilômetros quadrados considerado adequado para a construção da nova capital do Brasil. Belga e astrônomo, Luís Cruls deu nome à missão e corpo à construção da cidade que quase 100 anos depois foi tombada como patrimônio histórico e cultural da humanidade.

E é caracterizado desse personagem que o astrônomo e doutor em física Paulo Brito aparece nesta segunda-feira (22), às 19h, em uma live promovida pelo Planetário de Brasília para contar essas e outras histórias do nosso Quadradinho. Para quem não sabe como tudo aconteceu até chegar em 21 de abril de 1960, a atração Missão Cruls: Astronomia e História de Brasília é um prato cheio.

Na pele do astrônomo belga, o professor da Universidade de Brasília (UnB) irá dizer quem é ele, sua ligação com o Imperador D. Pedro II e como veio parar no Brasil até se tornar o diretor do Observatório Nacional. “Em 2019 visitei os quatro versas (NE, SE, NW e SW) do Quadrilátero Cruls e em um deles, em Poços de Abadia, estive caracterizado em pontos onde ele visitou. Foi muito interessante”, conta Brito.

Interação

Durante a live, “Cruls” irá conversar com algumas pessoas, responderá perguntas e contará fatos sobre a Pedra Fundamental que foi colocada em Planaltina em 7 de setembro de 1922. Lá foi inicialmente pensada a construção do Plano Piloto. As características de Brasília do ponto de vista astronômico e científico também farão parte dessa exposição. E não se acanhe se você não sabe nada do tema.

“A proposta é fazer uma apresentação da história para leigos, de forma leve e descontraída”, adianta o integrante da equipe científico-pedagógica do Planetário de Brasília João Kerginaldo. A transmissão da live será feita pelo Instagram @planetariodebrasilia.

 Com informações da Agência Brasília