Recurso também serve para agendamento da segunda dose dos que têm 79 anos ou mais. Após preenchimento dos dados, regiões de saúde entram em contato

site vacina.saude.df.gov.br está no ar para que a população do Distrito Federal – com 79 anos ou mais – que recebeu a primeira dose da vacina CoronaVac agende a segunda dose. O site também pode ser usado para que pacientes acamados possam se cadastrar e aguardar o agendamento da vacinação em casa. O cadastro é semelhante ao já realizado pelo Telecovid, pelos números 190, 193 e 199.

Ao entrar no site, o cidadão deve preencher os seguintes dados:

– nome completo;
– sexo;
– nome da mãe;
– data de nascimento;
– CPF;
– Cadastro Nacional de Saúde (Cartão do SUS – CNS);
– CEP da residência;
– Telefone;
– Endereço;
– Motivo do paciente estar acamado.

Após o cadastramento, as equipes das regiões de saúde receberão os dados para checagem e posterior agendamento pelo número do telefone cadastrado. A Secretaria de Saúde reforça que não serão solicitados dados pessoais como número de CPF no momento desse contato, uma vez que as informações preenchidas no site já estarão em poder dos profissionais.

Vacinas

A vacina CoronaVac é produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. A vacina Covishield é desenvolvida pela universidade inglesa de Oxford, com a farmacêutica sueco-britânica AstraZeneca. Cerca de 5% do total de doses recebidas são reservadas tecnicamente para repor eventuais perdas.

A CoronaVac tem intervalo de aplicação entre as doses de 14 a 28 dias. Devido a isso, metade do quantitativo recebido é reservado para a segunda aplicação. Já com a vacina de Oxford, esse intervalo é de até 90 dias. Devido a esse tempo, a recomendação do Ministério da Saúde foi que todas as doses desta vacina fossem utilizadas.

O Distrito Federal já recebeu 204.060 doses das vacinas CoronaVac e Covishield. Desse total, 162.560 doses são da vacina chinesa e 41,5 mil da vacina de Oxford. Seguindo orientação do Ministério da Saúde, todas as doses recebidas da CoronaVac foram divididas em primeira e segunda doses e da vacina de Oxford todo o quantitativo foi utilizado.

Com informações da Secretaria de Saúde