Sábado, 15 de Agosto de 2020
NOTICIAS POLICIAIS

PM é preso acusado de matar jovem em briga e de ameaçar testemunhas

Publicada em 20/12/19 às 15:26h - 121 visualizações

por Portal de Comunicação do Onildo Alves


Compartilhe
   

Link da Notícia:

 (Foto: Portal de Comunicação do Onildo Alves )

Consta na decisão da audiência de custódia que o policial militar, o filho dele e uma pessoa ainda não identificada espancaram a vítima e, antes de sair, o PM atirou duas vezes

Um policial militar está preso acusado de ter assassinado um jovem de 21 anos no Riacho Fundo II. Segundo consta no processo do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), o sargento Adailton Portela dos Santos, o filho dele e um homem ainda não identificado teriam "dado uma surra na vítima e, em dado momento, teria sacado a sua arma de fogo e efetuado quatro disparos em seu desfavor, vindo a atingí-la com dois deles". O crime aconteceu na noite de segunda-feira (16/12)
Pelos depoimentos colhidos pela autoridade policiail, o PM e seus comparsas teriam partido para cima da vítima pelo fato de ela ter dito que ele era "comédia". O delegado responsável pelo caso relatou à Justiça que "testemunhas primordiais dos fatos foram ameaçadas por Adailton e pelos policiais que atenderem a ocorrência para que não revelassem o que havia acontecido de fato. Essas testemunhas foram localizadas por policiais civis que fizeram buscas perto da ocorrência. Muito amedrontadas, nenhuma das testemunhas queria falar. Uma das testemunhas chorou muito em seu depoimento."
 
Em audiência de custódia realizada no fim da manhã de quinta-feira (19/12), a juíza de direito Flávia Pinheiro Brandão Oliveira reconheceu que o PM reunia as condições favoráveis para responder às acusações em liberdade: primário, possuir residência fixa e trabalho lícito. Porém, como houve relato de intimidação de testemunhas, a magistrada considerou que, "se colocado em liberdade, poderá continuar a ameaçar e amedrontar as testemunhas oculares do fato".  

Memória

9 de dezembro
A discussão entre um policial militar e um vizinho terminou em tragédia, no Areal, em Águas Claras. Kley Hebert Gusmão, 51, acabou baleado pelo PM e, socorrido ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC), morreu horas depois. O crime teria ocorrido após desavenças supostamente iniciadas por conta de barulho. O caso aconteceu por volta das 22h. De acordo com informações da PM, o militar se dirigia à porta do prédio para registrar uma reclamação por perturbação. Nesse momento, ele se encontrou com Kley nas escadas de um dos blocos e ambos começaram uma briga física. Em seguida, o policial saca a arma e atira contra a vítima. O autor dos disparos justificou a ação informando que teve medo de ser desarmado por Kley. 
 
28 de novembro
O médico Luiz Augusto Rodrigues, 45 anos, morreu baleado com um tiro na cabeça por um policial militar durante uma abordagem. O caso aconteceu no início da madrugada, quando a vítima deixou um bar da 314/315 Sul. Ele estava acompanhado por um colega, um sargento reformado da PM, que, segundo a corporação, apontou uma arma para os colegas de profissão, que revieram com tiros. Entretanto, o militar nega a versão dos fatos e diz apenas que estava escoltando Luiz para o veículo dele, estacionado nas imediações da quadra. 
Fonte:CB



ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 61 98256-9400

Visitas: 1708178
Usuários Online: 50
Copyright (c) 2020 - Portal de Comunicação do Onildo Alves